O que dizem sobre nós…

Jonathan de Almeida

“Desde o início fui sempre bem recebido e sempre que ia à explicação percebia sempre tudo o que não tinha ficado bem esclarecido nas aulas e, como é óbvio, ajudou a subir a nota de matemática.”

Jonathan de AlmeidaEstudante do Ensino Secundário
Patrícia Barreira

Bem, o que dizer acerca do Geocentro… É fantástico!! É sem dúvida o sítio ideal para podermos aprofundar os nossos conhecimentos e aprender um pouco mais, com a ajuda dos professores e claro, com a ajuda da Ana e da Patrícia. Graças ao Geocentro consegui melhorar imenso as minhas notas e a minha confiança em relação aos meus conhecimentos, por isso só tenho que vos agradecer por toda a paciência, apoio e carinho que têm comigo!!!!”

Patrícia BarreiraEstudante do Ensino Secundário
Fernanda Barreira

Como mãe tenho de fazer referência à forma atenciosa e prestável como tratam os alunos, de modo a que eles se sintam à vontade, com os professores e com a Ana e a Patrícia, para expor todos os seus problemas e dúvidas dentro e fora das explicações. Os meus parabéns pelo profissionalismo e prestabilidade!!”

Fernanda BarreiraEncarregada de Educação
Miguel Tavares

“Gosto de estar no Geocentro quer pelo espaço, quer pelas pessoas em meu redor. Quando estou no Geocentro não sinto que estou num centro de estudos, sinto que estou num sítio acolhedor e isso dá-me prazer de estudar.”

Miguel TavaresAluno do 3º Ciclo
Mariana Lourenço

“5 Star
O Geocentro é um espaço muito inovador, pois ajuda-nos em tempo de aulas e ocupa-nos em tempo de férias. Eu, como estudante, sinto-me ajudada, com acompanhamento constante e sempre que tenho alguma dúvida sou imediatamente auxiliada!”

Mariana LourençoAluna do Ensino Secundário

“Adoro o Geocentro para mim é a minha segunda casa. Muito divertido e cheio de alegria, um sítio ótimo para aprender e conviver.”

Joaquim FigueiredoAluno do Ensino Secundário
Beatriz Barbosa

“Acho que posso dizer que faço parte da primeira Geração Geocentro.

Tudo começou em Abril de 2013, dois meses antes dos exames nacionais do 12º ano

Como todo aluno que pretende candidatar-se ao ensino superior, estava com os nervos a flor da pele. Iria realizar os exames de português e história em pouco tempo e, ao passo que me sentia preparada para enfrentar o “monstro” Português, sentia-me perdida quando estudava para História, a minha disciplina favorita. Não sabia por onde começar, onde focar, e acreditava firmemente que as quatros horas que passava dentro da sala de aula de pouco ou nada servia para me orientar. Decidi recorrer a explicações, que me ajudasse a focar o meu estudo e que servisse como preparação para o exame que teria de enfrentar.

Foi assim que conheci o Geocentro. Estava indo para a escola de manhã quando reparei nos pósters na janela, e comentei com a minha mãe: temos de passar ali. E passámos. Inscrevi-me nas aulas de História no mesmo dia e comecei a frequentar as duas horas que marcara durante os seguintes meses. Não gosto de chamá-la de aulas, porque na verdade não o foram. Aulas temos na escola, onde o professor (a) vomita a matéria e manda-nos ler o livro e fazer os tpc’s e a matéria está dada. As minhas duas horas de explicação eram duas horas onde eu e o professor que me ajudava conversávamos sobre os assuntos, de forma a me familiarizar com os mesmos, e olhávamos para todos os pontos em que as várias matérias se relacionavam, analisando-as de forma crítica, como me seria exigido que fizesse no exame.

Resultou. 17 no exame, 18 na nota final. 3 meses depois, era a 5ª colocada no meu curso de eleição, primeira opção.

No entanto, a minha relação com o Geocentro não acabou ali. É isso que o diferencia.

No Geocentro somos tratados como os indivíduos que somos, não como a turma x. Há uma verdadeira preocupação connosco, com o nosso presente e futuro. Sei disso porque dois anos e pouco depois de conhecer, continuo a frequentar o Geocentro sempre que posso. Não tenho aulas lá desde que fui colocada na faculdade, mas há uma energia tão boa, tão familiar naquele local, que me sinto sempre bem-vinda e em casa quando lá entro.

Quando digo que o Geocentro preocupa-se com o nosso presente e futuro, digo-o a sério. Como já disse, já não sou propriamente aluna lá, mas continuo a ser tratada como se fosse. Sempre que preciso de uma segunda opinião em assuntos da faculdade que os meus pais não me podem ajudar, é a eles que recorro. Quando tenho novidades sobre a faculdade, apareço sempre por lá para partilhar com eles. Quando preciso de ajuda com algum trabalho, ou projeto ou até mesmo em construir o meu CV, eles estão lá para me ajudar. E quando tenho milhares, milhares, de fotocópias para imprimir, embora tenha várias fotocopiadoras à disposição, dirijo-me sempre ao Geocentro e, enquanto as máquinas imprimem os meus textos da faculdade, sento-me a conversar, contar as novidades, ou mesmo jogar um jogo de tabuleiro com quem lá esteja, sejam alunos, professores ou até as próprias donas do Geocentro, grandes amigas que fiz nesse tempo que lá passei. Tenho muito que agradecer a esse lugar e às pessoas que lá estão, por terem sempre acreditado em mim, nas minhas capacidades e nos meus sonhos e por terem sempre me ajudado a concretizá-los.”

Beatriz BarbosaAluna do Ensino Superior
Inês Lourenço

Geocentro- muito mais que uma aprendizagem Tenho orgulho em dizer que tive auxílio (as mais conhecidas por “explicações”) durante o meu percurso escolar. Não só porque aprendi – o que é normal, espero – mas também porque conheci pessoas fantásticas naquele espaço tão pequenino, porém tão acolhedor. Um filho pródigo é aquele que não precisa de qualquer ajuda e que, mesmo assim, é um “Às”. Contudo, essa não é a definição que eu confio, ou pelo menos não é a descrição mais fiel no dicionário da minha vivência. Considero-me uma “filha pródiga” humildemente o pronuncio de coração aberto e feliz. Sim, sou uma dos muitos filhos deste grande parente que é o Geocentro: uma que encontrou respostas num caminho cheio de questões, uma que achou companhia numa estrada tão solitária que é o contacto connosco mesmo, uma que ouviu as palavras certas quando mais precisava, sendo estas boas ou más. Concluindo -porque não poderia nunca ter escrito este texto sem fazer a mínima referencia às pessoas que mais me marcaram lá – tenho de agradecer tudo principalmente a três grandes mulheres: à Patrícia e à Ana (também conhecidas pel’“as meninas do Geocentro”), que sempre me abriram a porta com um sorriso e com uma alegria contagiosa, abdicando muitas vezes do seu tempo e esforço mental para que o seu projecto funcionasse; e à minha querida Maria José, única professora de Matemática que gostei e simpatizei – importante frisar isso! – que me ajudou a determinar as incógnitas dentro e fora do papel! A elas e ao Geocentro devo parte de mim!

Inês LourençoAluna do Ensino Superior
Vera Barbosa

“Após ouvir tantas reclamações da minha filha em relação aos exames e as suas dificuldades, resolvi procurar um centro de estudos que lhe pudesse dar apoio. Após ter percorrido vários, encontrei o Geocentro. De imediato houve uma imensa simpatia. Desde então a minha filha passou a frequentar as aulas de História. Rapidamente começou a melhorar as suas notas e não somente isso. Eles não só ajudaram a minha filha com os seus estudos, como também apoiaram as suas decisões quanto à faculdade, e esclareceram as dúvidas que ela tinha e os seus receios quanto à entrada no ensino superior.

Hoje a minha filha está no 3º ano da faculdade e frequentemente visita o Geocentro, não tanto para ter explicações, mas sim para conversar e pedir opiniões e ajuda com os assuntos da faculdade e as suas inseguranças quanto ao futuro. Eles passaram a ser parte da família. Nós como pais devemos ver não só a educação dos nossos filhos, mas também o seu bem-estar e autoestima. É isso que diferencia o Geocentro: para eles os nossos filhos não são apenas parte da estatística, há uma genuína preocupação com eles e uma confiança nas suas capacidades.”

Vera BarbosaEncarregada de Educação
Marcos Mendes

O Geocentro é muito bom porque aprendi muito lá. O pessoal é super fixe e simpático. Tem dias que organizam jogos ou coisas dessas, só mesmo para divertir e relaxar um pouco.
Mas não penses que lá só se estuda, no verão brinca-se e diverte-se mt.

Marcos MendesAluno do Ensino Secundário
Lukeny Mendes

Eu gosto do geocentro porque é um bom local de estudo, não tem muito barulho e aprendemos as coisas mais simplificadas. Aconselho muitas pessoas para irem aprender.

Lukeny MendesAluno do 3º Ciclo
Ricardo Martins

O Geocentro é um sitio muito fixe porque ajuda os alunos em tudo o que eles precisam .

Ricardo MartinsAluno do 3º Ciclo
Laurinda Mendes

O Geocentro é um centro de qualidade e prestígio, com quadros altamente qualificados e competentes e uma excelente direcção. O centro para além de ensinar os alunos preocupa-se com o bem-estar dos mesmos, demonstra carinho, amor e transmite confiança e segurança aos alunos e aos encarregados de Educação. É uma honra ter os meus filhos na Geocentro e agradeço por cuidarem bem deles.

Laurinda MendesEncarregada de Educação